Leia a Bíblia

Leia a Bíblia

sábado, 24 de setembro de 2011

O poder de Deus e a fragilidade humana.

Aos amados amigos, que visitam e acompanham o blog, quero pedir desculpas por ter estado longe algum tempo deste espaço que tenho usado para expressar, não apenas meras “palavras”, mas momentos vividos que me levam a colocar aqui os questionamentos e/ou respostas que encontro durante minha caminhada pela vida.
Em Eclesiastes capítulo 03, vemos que há um tempo determinado por Deus para todas as coisas, quero ressaltar alguns: plantar/colher; chorar/rir; abraçar/deixar de abraçar; buscar/perder; estar calado/e falar; amar/odiar; guerra/paz. E ainda diz que Deus julgará o justo e o ímpio, dentro do seu tempo e do seu propósito.
Refletindo sobre a vida e todas as coisas que acontecem neste período em que passamos aqui neste mundo, lembrei-me do profeta Elias. Deus separou este homem para advertir o povo de Israel sobre o pecado da idolatria, podemos ler em I Reis 16:29 que...  Durante o reinado de Acabe, Elias foi perseguido por alertar ao povo que não deviam adorar a dois senhores (porque quando agradamos a um estamos desagradando ao outro), por denunciar o pecado e por ter a incumbência de conduzir o povo de volta a Deus. E por que isto estava acontecendo? Porque o rei Acabe havia casado com Jezabel, filha do rei dos sidônios, povo que tinha por deus a Baal. Acabe ergueu um altar de adoração a um deus estranho cometendo abominação ao Senhor, o Deus de Israel, atraindo, desta forma, o povo ao mesmo erro.
Voltando a falar de Elias, vamos pensar em um dos tantos feitos de Deus através da vida deste grande profeta, que foi o confronto que teve com 450 profetas de Baal... Acabe convoca o povo e reúne os profetas de Baal no monte Carmelo, Elias chega e mais uma vez adverte o povo sobre sua apostasia, no entanto, nenhuma resposta se ouve. Então, o profeta de Deus faz uma proposta dizendo que tanto ele, quanto os 450 de Baal teriam que preparar uma oferta no altar, mas não poderiam atear fogo, teriam que clamar, até que fossem atendidos e caísse fogo para queimar a oferta.
Os profetas de Baal preparam tudo e começaram a clamar ao seu deus, mas não tiveram nenhuma resposta, cortaram-se até sangrar, pularam ao redor do altar, desde a manhã, até a tarde, mas nada aconteceu. Então, o profeta Elias chamou o povo para perto de si, fez um altar ao Senhor, preparou a oferta e orou: “SENHOR Deus de Abraão, de Isaque e de Israel, manifeste-se hoje que tu és Deus em Israel, e que eu sou teu servo, e que conforme a tua palavra fiz todas estas coisas. Responde-me, SENHOR, responde-me, para que este povo conheça que tu és o SENHOR Deus, e que tu fizeste voltar o seu coração.
Então caiu fogo do SENHOR, e consumiu o holocausto, a lenha, as pedras, o pó, e ainda lambeu a água (que ele havia jogado sobre a lenha)... O que vendo todo o povo caiu sobre os seus rostos, e disseram:
Só o SENHOR é Deus! Só o SENHOR é Deus!”  (1 Reis 18:36-39)
Lendo a trajetória de Elias e todas as coisas sobrenaturais que Deus realizou em sua vida, podemos pensar que este é o tipo de pessoa que jamais poderia: ter medo de qualquer coisa ou pessoa, desejar a própria morte e até mesmo entrar em depressão. No entanto, ao ser jurado de morte, por Jezabel, ele foge para o deserto e deseja a morte. Cansado, dorme... Quando acorda um anjo o alimenta, isso acontece por duas vezes, mas na segunda o anjo manda que se alimente e diz para Elias que ele tem uma longa jornada. O profeta caminha por 40 dias e 40 noites. Chegando a Horebe, esconde-se em uma caverna onde passa a noite. O Senhor chama por ele, que logo começa a reclamar dizendo que sempre fora zeloso... Que levara a mensagem ao povo conforme a vontade de Deus... Agora se encontrava sozinho...
Pausa... (Não é raro nos sentirmos como Elias, passando por momentos em que achamos humanamente impossível ser racional, momentos onde as nossas emoções se descontrolam e parece que nada é suficiente para nos fazer voltar a razão. Esses são tempos muito difíceis, porque geralmente não duvidamos do poder de Deus... Duvidamos da nossa capacidade em continuar caminhando.)
...Elias, acusado injustamente de perturbar a ordem no meio do povo, jurado de morte, sentiu-se sozinho, perdido e sem apoio. Uma situação muito difícil de lidar. Mas o Senhor, o Deus de Israel, mostrou ao seu amado filho, profeta a quem havia separado para sua obra, que Ele estava no controle da situação, pois havia preservado a vida dos que não haviam se deixado envolver pela idolatria não se ajoelhando e nem se encurvando à Baal.
Deus manda que Elias volte e continue... E o profeta obedece, porque confia no Senhor.
Imagino que neste momento, tendo esta conversa com Deus e com suas forças renovadas, Elias tenha pensado em Jezabel e falado como o profeta Miquéias: “Não se alegre a minha inimiga com a minha desgraça. Embora eu tenha caído, eu me levantarei. Embora eu esteja morando nas trevas, o Senhor será a minha luz. Por eu ter pecado contra o Senhor, suportarei a sua ira, até que Ele apresente a minha defesa e estabeleça o meu direito. Ele me fará sair para a luz; contemplarei a sua justiça. Então a minha inimiga o verá e ficará coberta de vergonha, ela que me disse: "Onde está o Senhor, o seu Deus?...” (Cap.7v.8-10)

Lição...

...Aprendo com a experiência do profeta Elias que nós, seres humanos, somos frágeis, dependentes do Senhor e que Deus pode até permitir que passemos pelo vale da sombra e da morte, mas Ele não permitirá que fiquemos lá. Aprendo com Deus que não adianta ficar lamentando o que aconteceu e resmungando para Ele o que fizeram conosco, mas que devemos sair da caverna, ter uma conversa com o Senhor, admitir nossa fragilidade e reconhecer que Seu poder é suficiente para nos levantar, cumprir os planos que tem para nossa vida e nos justificar diante daqueles que nos afrontam, porque o Senhor, o Deus de Israel, o nosso Deus diz: “Ainda antes que houvesse dia, Eu Sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; agindo Eu, quem o impedirá? 
(Isaías 43:13)

“O SENHOR dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio.”
(Salmos 46:11)

Lenilsen Nascimento

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Por um Brasil dependente de Deus.



“Levanta-te, clama de noite no princípio das vigias; derrama o teu coração como águas diante da presença do Senhor; levanta a Ele as tuas mãos, pela vida de teus filhinhos, que desfalecem de fome à entrada de todas as ruas.” 
(Lamentações 2:19)


Hoje, dia 07 de setembro, celebra-se o “Dia da Independência do Brasil”.

Creio que precisamos clamar incessantemente a Deus pela libertação do nosso povo, que vem sendo alvo de um jogo sujo, tanto político quanto religioso.
Por conta de uma política pública desestruturada, saturada de roubos, escândalos, mandos e desmandos de homens e mulheres que se infiltram neste meio para engordar suas contas bancárias, deixando a população vivendo cada dia mais indignamente, o nosso país mostra-se espiritualmente opresso por principados e potestades que governam a vida dessa gente.
É aviltante o modo com que brincam com a miséria e ignorância do povo. É degradante a forma com que se apresentam diante da população para angariar votos e “compram” tanto dos mais necessitados como de outros tantos iguais a eles o passaporte para uma vida regada de imundície, mentiras e degradação do gênero humano.
“Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus.” 
(1 Coríntios 6:10)
Vamos clamar ao Senhor para que os poucos que estão neste meio e que ainda tem alguma dignidade possam lutar para combater essa mazela que tem contaminado a nossa sociedade e ter forças para não se deixar levar por ela.
Vamos clamar para que nossa nação coloque-se na dependência de Deus e se humilhe perante o Senhor, porque a humildade precede a honra e todo àquele que se humilha perante Deus por Ele é exaltado.
Vamos clamar pela libertação do Brasil e pela sua dependência do GRANDE EU SOU o Senhor dos senhores, o único Deus digno de ser adorado, honrado e louvado.
Vamos clamar para que o Senhor abra a visão do povo e que este se erga espiritualmente para lutar contra todo principado dominador que atua nas regiões celestiais trazendo miséria à nossa nação.


“Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos...” (Mateus 5:6)



Senhor ouve o clamor da sua Igreja.


Lenilsen Nascimento