Leia a Bíblia

Leia a Bíblia

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Saia da escravidão



Qual padrão de liberdade que o ser humano tem estabelecido para viver nos tempos atuais? O que realmente é liberdade para algumas pessoas? Como se encontra a percepção racional de uma pessoa que perdeu o limiar daquilo que podemos chamar, talvez, de “liberdade saudável”, ou seja, minhas ações não me ferem não me fazem mal, e nem aos que me rodeiam e me amam, como meus familiares e amigos.
Há pessoas que fogem de um compromisso com Deus porque acredita que será podado em sua liberdade, no entanto, estas mesmas pessoas tendem a ser escravas de muitos vícios que as levam a uma vida repleta de tristeza, vazio constante, remorso, solidão... Assim, deixam de viver a liberdade que Jesus nos oferece, sendo que esta liberdade com Cristo NÃO traz culpas, remorsos e nem falta de paz. Muito pelo contrário, ela nos traz uma paz que excede todo entendimento. (Filipenses 04:07)
Podemos citar aqui diversos tipos de vícios como a mentira, a prostituição, a fofoca, a perversidade, o furto, as drogas (lícitas e ilícitas), a glutonaria e tantos outros. Mas  sabe o que é interessante quando falamos sobre os vícios que o ser humano possui? É perceber que existem pessoas escravas destes vícios e parece que nada as afeta, e mais grave ainda é observar que dentro das nossas instituições religiosas muitos não são tratados à luz da Palavra de Deus. Por exemplo, a “igreja” é capaz de utilizar meios muito rigorosos para lidar com alguém que se prostituiu, ou adulterou a aliança com seu cônjuge, do que com alguém que mentiu, fez fofoca da vida alheia, e outras coisas mais, ou seja, não adulterou a aliança com o cônjuge, mas adulterou sua aliança com Deus.
Pensemos em algo interessante! O vício da comida. Há pessoas doentes, correndo risco de morte, mas não largam o maldito vício de se “entupir” de tudo que é colocado sobre a mesa. Não se dá o mínimo valor, não cuida da saúde e está constantemente fazendo seus amigos e familiares sofrerem por sua falta de domínio próprio, e ainda temos que ouvir de alguns “crentes” perturbados, que “comer é um dos únicos prazeres do ‘crente’”.  Então pensamos: _ Que liberdade é essa se a criatura é escrava do seu desejo de comer a ponto de não conseguir, racionalmente, decidir o que faz bem e o que faz mal à sua saúde? Nenhuma! Simplesmente vive uma vida maquiada, aprisionada a problemas emocionais e espirituais. Precisa urgentemente rever valores!

Queridos irmãos, que possamos viver como nos ensina Palavra de Deus. Que a nossa vida seja um constante vigiar, para que dessa forma possamos ganhar para Cristo todos os que vivem na escravidão. Não apenas com palavras, mas com nosso exemplo, de forma que os que nos olham possam enxergar Jesus Cristo.

Então...

“... conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé.
A noite é passada e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas e vistamo-nos das armas da luz.
Andemos honestamente, como de dia; não em glutonarias, nem em bebedeiras, nem em desonestidades, nem em dissoluções, nem em contendas e inveja. Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo...”
(Romanos 13:11-14)

Que Deus nos abençoe com sabedoria e discernimento. Que a presença do Espírito Santo, nosso Mestre, seja constante em nossa vida, que estejamos dispostos a aprender com Ele, abandonando toda soberba que nos impede de enxergar que precisamos da intervenção de Deus em nossas vidas. Nos mínimos detalhes. Amém!


Lenilsen Nascimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário